PDF Imprimir E-mail
- BloGama na galera
Escrito por Marcio Almeida   
Dom, 28 de Agosto de 2011 10:30


Muitos torcedores depois que conheceram o Gama ficaram divididos e não escondem seu amor pelo alviverde.


Sábado, 27 de agosto de 2011, Botafogo e Fluminense se enfrentavam no Estádio Engenhão pela Série "A". Um jogaço entre as duas equipes cariocas e que nenhum torcedor gostaria de perder, mesmo que fosse pela televisão, no conforto do seu lar ou no barzinho com seus amigos.

Sr. Geraldo Dantas cresceu torcendo para o Botafogo e no exato momento do clássico carioca ele estava no Bezerrão assistindo um jogo pela Série "D", algo de errado com ele?


Não, Sr. Geraldo Dantas, o popular Alfafa, nasceu em Teresina/PI e veio morar no Gama onde jogou por equipe amadoras como o Planalto, São Jorge, 17 e Coenge, após a fundação da Sociedade Esportiva do Gama seu coração, até então só botafoguense, se viu dando lugar à paixão alviverde.


Em 2002, ele encomendou 10 camisas demonstrando seus sentimentos, metade Botafogo metade Gama, que é usada por seu filho Geison e netos. E declara "quando as duas equipes jogam contra torço para o Gamão, mesmo ficando magoado pelo Fogão".

Sr. Alfafa trocando o jogo da Série A para apoiar o Gamão
Foto: Marcio Almeida

Mas ele não está sozinho, até mesmo Nilton Santos, a "Enciclpédia do Futebol", um jogador fortemente identificado com o time do Botafogo nos anos mágicos em companhia de Garrincha, escrevia sua coluna para o Correio Braziliense e se viu dividido em 1999, quando Gama e Botafogo se enfrentaram e um dos dois times iria cair para Série B.

Veja o que o mestre escreveu. "Muita gente estranhou meu posicionamento com relação ao jogo entre Botafogo e Gama, ou seja, minha afirmação de que para mim o empate seria um bom negócio. Gente, acho que em termos de coração botafoguense, pode haver torcedor igual, verdadeiramente apaixonado por tudo que diz respeito ao clube. Igual pode haver mesmo. Mais que eu, porém, é impossível. O Botafogo não é apenas o meu clube, mas a história da minha vida. Por anos e anos só vesti aquela camisa querida e gloriosa. Comecei a jogar, parei de jogar, sempre com ela. As outras foram as da Seleção Brasileira e Carioca, a do meu país e a do meu estado natal. Portanto, a minha paixão pelo alvinegro não têm como ser discutida ou posta em dúvida um segundo sequer. Ao afirmar que o empate seria bom negócio para mim e para os dois clubes, portanto, foi uma avaliação que alcança um pouco mais do que o simples resultado dentro do campo. Primeiro, porque aprendi a amar Brasília. É aqui que vivo. E o Gama, na primeira divisão do nosso futebol,motivou a todos. E, muito mais que isso,abriu um mercado que não existia para centenas (ou milhares,sei lá) de pessoas, ajudando a combater parte do desemprego que assola a nossa cidade (e todas as demais). E,dentro do estádio, o elo que pode unir cada vez mais o cidadão a esta cidade que a todos recebe de braços abertos". Correio Braziliense, Coluna A Enciclopédia de Nilton Santos, em 31/10/1999.

Coisa então de botafoguense? também não! Olha o Sr. Ionaldo, de 55 anos, estampando que o Gama consegue dividir os rubro-negros.


Sr. Ionaldo e sua camiseta onde o Periquito ocupa parte do coração antes somente rubro-negro
Foto: Marcio Almeida

Gama dividindo corações
Última atualização em Dom, 28 de Agosto de 2011 20:30
 

Comentários  

 
0 #10 Anderson 100% Gamão 29-08-2011 12:04
 
 
0 #9 Marcio Almeida 29-08-2011 12:01
 
 
0 #8 Machado 29-08-2011 11:33
 
 
0 #7 Remy S. Carvalho 29-08-2011 08:52
 
 
0 #6 Gamense Gama Oeste 28-08-2011 22:54
 
 
0 #5 vagner 28-08-2011 21:50
 
 
+1 #4 Anderson 100% Gamão 28-08-2011 19:59
 
 
0 #3 iuka 28-08-2011 19:53
anapolina fez o quase impossivel ganhou
 
 
0 #2 Víctor Carvalho 28-08-2011 17:06
 
 
0 #1 Lucas Rodrigues 28-08-2011 16:59
Infelizmente o Gama tem torcida de mistos.